Counter

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Homens, Mulheres & Filhos


O protagonista de “Homens, Mulheres & Filhos” é a tecnologia. 

Jason Reitman presenteia, mais uma vez, os amantes da sétima arte com a atual e jovial película “Homens, Mulheres & Filhos”, cujo roteiro, de fácil assimilação, não requer subterfúgios ou entrelinhas, mas simplesmente a assimilação, pelos espectadores do que é apresentado – nada mais.
A gama de seus personagens imerso em seus universos de problemas pessoais são travestidos de infomaníacos, induzindo os espectadores a crer que grande parte dos conflitos é decorrente da tecnologia informatizada. Dessa forma, o filme se faz tendencioso, mas não camufla os demais assuntos abordados - solidão em tempo de WhatsApp, matrimônio auxiliado por Ashley Madison, insatisfação supostamente resolvidas pelos grupos das redes sociais, fuga da VR (lê-se Vida Real) no GdtRPG game e o auxílio ao cuidado materno através da tecnologia, beirando a psicopatia. O protagonista de “Homens, Mulheres & Filhos” é a tecnologia, personagem esse ainda não tão explorado nos filmes que são qualificados como drama.

Reitman, consegue imprimir a sua assinatura com frescor juvenil e abre as portas para que muitos outros comecem a invadir essa seara tecnológica que, querendo ou não, faz parte de cada segundo da vida de grande parte dos indivíduos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário