Counter

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Meu Nome é Reginaldson


Pode ser um título engraçado, mas vai muito além do significado dessa palavra. 


Existe uma linha tênue entre a carência e o excesso e, da mesma forma, entre a comédia e o drama. “Meu Nome é Reginaldson” excede, com seu texto concebido por Fernando Ceylão, que também é o principal e único ator do espetáculo - apesar da multiplicidade de personagens, o que demanda máxima desenvoltura à qual responde com muito talento. Apesar de sua veia cômica dar uma boa química ao conectar o seu nome ao humorista, a dramaticidade presente nas vidas representadas no espetáculo é passível de vergonha alheia, tamanha a força com que Ceylão humaniza os personagens, tornando-os críveis, enquanto problemáticos, invejosos, medíocres, maléficos e psicopatas. Sob a direção de Bruce Gomlevsky, a dupla coloca em cheque o estereótipo que muitos humoristas adoram interpretar. 
A partir de determinado ponto, o espetáculo torna-se melancólico e as gargalhadas projetadas pelo espectador se desviam do roteiro e atingem, em cheio, a máxima que argumenta que não há nada melhor do que a miséria alheia para aliviar as suas próprias – o que pode ser interpretado como uma transformação de momentos de lazer e diversão num exercício de egoísmo e de falta de solidariedade.
O espetáculo conta com o cenário muito bem concebido por Pati Faedo - remetendo aos quadrados agrupados de Mondrian, porém vazados, dando vez a um fundo infinito – que desenha um apartamento que pode ser interpretado como um cativeiro no qual muitos se colocam ou são colocados por alguns.  O desenho de luz de Elisa Tandera, o figurino de Ceylão e, até mesmo o som, cuja operação fica a cargo de Thiago Monteiro, são compatíveis com excelente nível de produção dedicado ao espetáculo. Com isso, endossa-se o respeito com o qual os apoiadores foram tratados pela equipe e para com os espectadores que se interessam pelo tema apresentado, ou com aqueles que, simplesmente, pagam para ver.

“Meu Nome é Reginaldson” pode ser um título engraçado, mas vai muito além do significado dessa palavra. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário