Counter

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Sam Alves - ID




Cativa o público mais antenado na cena pop atual


Noite de 31 de março de 2015, numa única apresentação no Theatro Net Rio, dá-se início à nova turnê “Sam Alves – ID”. O palco, ainda tomado pelo semi breu, é ocupado por cada um dos componentes da banda - Heitor Lima na bateria, Viny Melanio no baixo, Lipe Bade no violão e guitarra, e Vitor Cortez no teclado. Uma vez alocada, a banda emite seus primeiros acordes pré aquecendo a plateia, num preparo para a entrada de Sam Alves que, despretensiosamente, inicia o show com a interpretação de “Frágil”, seguindo com “Amanhecer” e descontraindo com “Esse Mistério” – música que abre o CD homônimo do espetáculo.  

Após a apresentação de “Tired”, o compositor e intérprete, já em total domínio do palco e interagido com a plateia, se entrega aos fãs, de corpo e alma, dando sequência à sua paleta musical com “Dangerous” de David Guetta, “Be With Me” e “Me Beija” – ambas de sua autoria. No ápice do espetáculo, um surpreendente convite de Sam Alves emociona o público presente – sua mãe sobe ao palco, onde, em seus braços, é homenageada ao som de “A Thousand Years” de Christina Perri, levando todos à comoção com seu discurso proferido com amor e reconhecimento. Em meios a gritos, selfies e aplausos incessantes, Sam Alves faz de tudo um pouco para não deixar qualquer de seus admiradores sem resposta ou demonstração de carinho, tamanho o assédio promovido pelos fãs, em peso na plateia, dando a impressão de se tratar de uma grande família aplacada por amor incondicional. A totalidade das músicas do novo álbum é reconhecida e conta com o acompanhamento vocal dos fãs, abrindo espaço para Sam Alves introduzir músicas do seu CD anterior, para o deleite de todos os presentes.

Sam Alves percorre e preenche todos os espaços livres do palco como um veterano, trazendo consigo uma produção composta por profissionais gabaritados - a que tem direito e à qual responde empreendedora e profissionalmente. Proporcional ao seu talento, a simplicidade com que se apresenta diante da plateia, cativa o público mais antenado na cena pop atual, tendo em vista o sutil refino da seleção de seu repertório. Menção especial para a sua versão de “Chandelier”, de Sia, somando à qualidade e ao prazer em assistir ao espetáculo já próximo ao seu final. A inédita “I Wanna Fall”, é a eleita para o término dessa apresentação única no Rio de Janeiro, com continuidade garantida em outras cidades do Brasil, numa demonstração incontestável do crescimento artístico de Sam Alves.



https://www.facebook.com/curtocircuitocultural

Nenhum comentário:

Postar um comentário