Counter

domingo, 19 de julho de 2015

Maria do Caritó


Um verdadeiro show 

O premiadíssimo espetáculo montado a partir do texto de Newton Moreno, “Maria do Caritó” retorna aos palcos, iniciando sua nova turnê em curtíssima temporada no Theatro Net Rio, em cuja noite de estreia, dia 17 de julho de 2015, o Circuito Geral se faz presente e constata o mérito da consagração daquela obra teatral.  

Lilia Cabral, como protagonista, ratifica seu merecimento ao Prêmio Arte Qualidade Brasil 2010 que lhe fora concedido como melhor atriz, no papel da personagem que se confunde com a essência de uma cultura genuinamente brasileira - cheia de encanto e inocência, com nuances de humor e romantismo. O prêmio também reconhece “Maria do Caritó” como o melhor espetáculo do gênero comédia de 2010 – o que vem ao encontro da percepção do Circuito Geral como um espetáculo que, além da emoção, desperta a reflexão, de uma forma saudavelmente cômica, sobre as “verdades” do mundo que são impostas pelas hierarquias nas diversas escalas do poder e pela temência às entidades divinas. João Fonseca também é agraciado com aquele prêmio pela direção que lapida o espetáculo imerso na cultura mambembe numa pérola que ainda se apresenta como valioso presente para os consumidores da arte de representar. Naquele mesmo ano, Dani Barros é premiada pela Associação dos produtores de Teatro do Rio de Janeiro – APTR, como melhor atriz coadjuvante que, em “Maria do Caritó”, empresta seu talento a diversos personagens que cativam a plateia.

O cenário, aparentemente simples, carrega uma gama de simbolismos concebidos pelo estudioso desenho de Nello Marrese que transporta os espectadores para um nordeste lúdico, lírico e religioso, com nítida inspiração “Volpiana” marcada pelo multifuncional elemento cenográfico que se presta como anteparos das coxias, como totem e como arco gótico de uma igreja, composto pelas bandeirinhas típicas das festas juninas, em contraste com as rendas bordadas pelas inúmeras artistas anônimas do nosso nordeste, projetadas como pano de fundo.  No mesmo compasso, o figurino de J. C. Serroni se debruça sobre a atmosfera regional e circense do espetáculo. Sensível ao grafismo e cromatismo do cenário e dos ricos detalhes e padronagens têxteis do figurino, Paulo Cesar Medeiros os acentua como se inspirados nos pontos, traços e manchas cintilantes presentes na Arte Naif.

A direção musical de Alexandre Elias presta todo o suporte à alegria e a suavidade da ingênua virgem do Caritó, contaminando a plateia com o entusiasmo presente no palco durante a apresentação do espetáculo, diante de um público tão participativo quanto uma claque previamente ensaiada que se diverte, exponencialmente, ao perceber os divertidos e genuínos momentos de frouxos de risos pelos quais passam os próprios atores, diante das suas respectivas falas e

Fotos do Espetáculo- Fan Page -CircuitoGeral

Nenhum comentário:

Postar um comentário