Counter

domingo, 7 de fevereiro de 2016

O Regresso


Em nome de uma sobrevivência selvagem, brutal e devastador

Ousados recursos técnicos e fotográficos aliados a uma paisagem gelidamente hostil, em pleno oeste americano dos anos 1820, e ao contundente desempenho de Leonardo DiCaprio fazem de “O Regresso” um longa metragem cuja qualidade se equipara com as mais impactantes produções cinematográficas dos últimos tempos. Baseando-se na obra homônima de Michael Punke, o cineasta, argumentista e produtor de cinema mexicano Alejandro González Iñarritu assume o roteiro e a direção multidisciplinar da película, oferecendo ao público cinéfilo uma produção contemplada por cenário, figurino, vizagismo, design de arte e tomadas externas sequenciais irretocáveis. 

A trama conta a história do caçador de peles do Velho Oeste Americano, Hugh Glass – instintivamente interpretado por Leonardo DiCaprio – que após escapar de uma emboscada dos indígenas Arikaras, é atacado por um urso e abandonado como se morto estivesse, por alguns de seus companheiros. A partir de então, amor e ódio tornam-se os verdadeiros protagonistas da história que apenas usam o corpo de Glass em nome de uma sobrevivência selvagem, brutal e devastadora. 


“O Regresso” é um produto cinematográfico cujo resultado é soberbo, egoísta, ambicioso e, por isso mesmo, se destaca como uma obra única e sólida, e cuja mensagem transpassa os limites físicos de uma sala de projeção. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário