Counter

segunda-feira, 14 de março de 2016

Lugar de Mulher... Uma Sátira ao Machismo


Para os apreciadores do humor despretensioso


Oito de março de 2016 – Dia Internacional da Mulher – o Teatro Vannucci, no Rio de Janeiro, abre suas portas, em curtíssima temporada, para a apresentação de um espetáculo liberado para toda a família – “Lugar de Mulher... Uma Sátira ao Machismo”, concebido pelo ator e diretor Cláudio Ramos.

Em sua apresentação solo, Ramos encarna três Marias – distintas, humanas, críveis, genuínas e, acima de tudo, vividas. Personagens com as quais Ramos conta com a identificação imediata do espectador, seja consigo mesmo, seja com alguém que faz parte de seu círculo de relacionamentos, promovendo, em meio à plateia, focos de comentários em meio a um diversificado universo de núcleos dentre amigos, casais e familiares que assistem o espetáculo, a partir dos quais, crianças identificam comportamentos que se assemelham aos de seus pais, esposos chacoteiam suas mulheres e vice-versa ao constatarem que as pérolas proferidas e desempenhadas pelas Marias de Ramos são fartamente presentes em suas vidas. Moto-contínuo, tais manifestações traduzem o espetáculo como um “reality” ensaiado e geram combustão para que Ramos dê tudo de si em prol das vidas que empresta àquelas três criaturas que já se integram em seu lado feminino, ao longo dos três esquetes e de uma homenagem que compõem “Lugar de Mulher... Uma Sátira ao Machismo” – a Maria submissa ao marido e que, após constatar ter sido atraída sexualmente por um feirante, renuncia a esse sentimento em nome da instituição familiar; a socialite emergente Maria Lucrécia que, com muita determinação, tenta desvendar os mistérios que envolvem a amante de seu marido; a Maria esposa de um lusitano, que há muito, não sabe o que é ter uma vida sexual e que, em meio aos seus afazeres domésticos, se distrai como ouvinte de um programa radiofônico e mantém uma conversa imaginária com o locutor; o Cláudio Ramos – porto seguro de uma frota feminina que encontra no artista, a placidez de águas desejada por todas as Marias.

A partir de um profundo respeito pelos direitos do sexo feminino e sem qualquer ranço de apelo caricata, mas genuína, a composição interpretativa de Ramos denuncia a ainda existente banalização do desrespeito aos direitos da mulher. Suas confidências junto à plateia emocionam, ao mesmo tempo que provocam risos autênticos. Lugar de Mulher... Uma Sátira ao Machismo” surpreende e conquista o selo de um espetáculo imperdível, para os apreciadores do humor despretensioso.


Nenhum comentário:

Postar um comentário