Counter

sexta-feira, 1 de abril de 2016

Brimas


Generosas imigrantes

Sexta-feira, dia 25 de março de 2016 – o Circuito Geral comparece a uma das salas do Teatro Fashion Mall, onde o público é recepcionado com ramos de arruda, dando início – através do sentido do olfato, conforme costumes e tradições de alguns povos do Oriente Médio – ao processo de purificação de suas mentes, visando à assimilação da relação entre duas mulheres radicadas em terras brasileiras. A afetuosidade presente na relação interpessoal de Ester – uma judia proveniente do Egito – interpretada por Beth Zalcman e Marion – uma católica maronita, do Líbano – por Simone Kalil, conjugada ao sotaque das imigrantes, define, de forma lúdica, o nome do espetáculo.

A essência do texto, concebido visceralmente a quatro mãos pelas atrizes, transcende as origens geográficas das protagonistas e conta a história de seus avós, baseada em fatos reais, delineando, sutilmente, o perfil das estruturas socioeconômicas das instituições e poderes políticos, a fundamentação teórica da democracia, a sociedade civil e religiosa daqueles países no início do século XX. Sob a direção de Luiz Antônio Rocha, a demarcação das diferenças entre judeus e católicos não obscurece os evidentes laços afetivos que unem as personagens em nome de algo maior – a amizade, o companheirismo, o orgulho de serem quem são e o amor pela terra que escolheram para viver e difundir a sua cultura. O figurino de Cláudia Goldbach traduz, com equilíbrio, o relativismo entre as classes sociais às quais as amigas pertencem. A iluminação de Aurélio De Simoni influencia e classifica as nuances das protagonistas na montagem dos cacos que remetem às lembranças familiares e ao enfatizar os símbolos religiosos de maneira sombriamente poética – uma alusão à arte milenar do teatro de sombras.  O cenário de Toninho Lôbo é concebido em meio a malas de cores e tamanhos variados, sugerindo a bagagem de vida presente na vida das generosas imigrantes “Brimas”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário