Counter

sábado, 23 de abril de 2016

“Projeto MPB EVA” Moraes Moreira


Tarde de outono que o verão, desafiante, se recusa abandonar.

Sábado, dia 16 de abril de 2016 – a Fundação Eva Klabin abre os seus jardins para o show inaugural do “Projeto MPB EVA”, estrelando o cantor Moraes Moreira em uma apresentação intimista com uma hora e meia de duração, durante a qual, o cantor, compositor e poeta resgata alguns de seus grandes sucessos junto a uma plateia composta por cerca de cento e oitenta jovens senhoras e senhores que lota o acolhedor pátio externo coberto da casa, nessa tarde de outono que o verão, desafiante, se recusa abandonar.

Acompanhado pelo cantarolar da atenta plateia, o filho de Ituaçu – município do interior do Estado da Bahia – homenageia Os Novos Baianos com “Brasil Pandeiro” e, logo em seguida, declama o seguinte cordel que define a trajetória do grupo  do qual fez parte de 1969 a 1975: “Qual era mesmo o cenário? O regime autoritário, em clima de repressão assava a tropa em revista e exilava o artista, entristecendo a Nação. Apesar de tudo isso, cumprindo seu compromisso sem medo de ser feliz, a banda com tudo em cima levantou a autoestima do nosso imenso país.” – e dá sequência com “Besta é Tu”. A partir de então, a  nossa Pátria Amada Idolatrada também ganha um repertório peculiar que inicia com “Aquarela do Brasil” e “Isto Aqui, O Que É”, de autoria de Ary Barroso; “Canta Brasil”, de Alcyr Pires Vermelho e David Nasser; “La Vem O Brasil Descendo a Ladeira, de Pepeu Gomes” – com quem compartilha a autoria do sucesso, imediatamente ovacionado pela plateia ao expressar o quanto valoriza a força da mulher brasileira. Dando seguimento à empolgação que experimenta durante a sua apresentação, Moreira manda “Forró do ABC”, “Sintonia” e, claramente inspirado no poema “Autopsicografia”, de Fernando Pessoa, recita “A Dor e o Poeta” - “A dor atinge o peito do poeta, mas ele finge que nada sente e até se delicia...”. A primeira parte do espetáculo é fechada com “Preta Pretinha”, sob os aplausos fervorosos de seus fãs.

Quinze minutos foram suficientes para o cantor retornar com mais garra – dessa vez, mostrando sua faceta de cordelista, que lhe garante a cadeira número 38 da Academia Brasileira de Literatura de Cordel – declama “Luiz Gonzaga: O Nordestino do Século é o Nosso Rei do Baião”, emociona todos com “Asa Branca” e provoca movimentos dançantes na plateia sentada com “Respeita Januário” e “Sebastiana” – essa última, de autoria do alagoano Jackson do Pandeiro. Atendendo a pedidos, Moreira canta “Meninas do Brasil” sob aplausos, dando a deixa para a música de Paulo Leminski – “Valeu”.

“Eu Também Quero Beijar” prepara a finalização do show, que fecha com “Festa no Interior”, consagrando a primeira apresentação da série “Projeto MPB EVA”, cujos seguidores já têm um compromisso para com o próximo show, no dia 14 de maio de 2016, e cuja programação já se encontra à disposição no site da Fundação Eva Klabin.

Nenhum comentário:

Postar um comentário