Counter

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Jogo do Dinheiro


Contra a apatia daqueles que estão do outro lado da máquina de fazer dinheiro, cientes, mas não crentes, de que estão sendo enganados

Uma leitura de mestre do poder da mídia sobre as tomadas de decisão dos indivíduos criadores de expectativas por parte de seus garotos propagandas; indivíduos esses frustrados quando se dão conta de que não passam de meras estatísticas contabilizadas pelas agências de marketing e de seus poderosos contratantes – não mais do que uma gota da essência do longa-metragem – “Jogo do Dinheiro”.

Lee Gates – mais uma das instigantes interpretações de George Clooney – é a celebridade que pode ser tomado como “O Mago do Dinheiro de Wall Street”, em cujo programa televisivo de alta audiência, fornece dicas financeiras aos seus crédulos espectadores. Patty Fenn – a linda e sagaz produtora do programa de Lee, personificada por Julia Roberts. Kyle Budwell – primorosamente dramatizado por Jack O'Connell, é o desiludido espectador lesado financeiramente, em decorrência das dicas financeiras de Lee.

Após a invasão do set do programa por Kyle, durante a transmissão ao vivo do mesmo, Lee e sua equipe se tornam reféns do ameaçador espectador armado. Sagaz, Patty assume a condução da situação e dá-se início a uma operação, juntamente com a polícia, visando preservar a integridade das vítimas em potencial e desvendar as incógnitas que envolvem aquela ocorrência.

Por detrás da reprodução de todo um circo financeiro e das cenas dramáticas e eletrizantes de “Jogo do Dinheiro”, a claustrofóbica direção de Jodie Foster enquadra o suspense e as decisões consideradas lógicas em um conflito estranhamente atraente, no tempo exato de um programa televisivo. A composição de Jim Kouf, Alan DiFiore e Jamien Linden valoriza a produção, com qualidade surpreendente, a partir de um roteiro simples, elaborado a seis mãos.

A artificialidade das notícias, a falta de compromisso por parte das personalidades artísticas, as ambições das grandes instituições e a avidez política em pôr as mãos no dinheiro dos contribuintes fazem do “Jogo do Dinheiro”, uma denúncia escancarada contra os meios de comunicação, que só visam à audiência, e contra a apatia daqueles que estão do outro lado da máquina de fazer dinheiro, cientes, mas não crentes, de que estão sendo enganados.



Nenhum comentário:

Postar um comentário