Counter

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Portátil


O Circuito Geral sugere aos espectadores adeptos ao humor com arte, que compareçam à plateia munidos de uma boa experiência de vida

Um espetáculo com roteiro formalmente bem estruturado e com argumento totalmente dependente da plateia – formato identificado pelo Circuito Geral ao assistir “Portátil”, elencado por Gregório Duvivier, Gustavo Miranda, João Vicente de Castro e Luis Lobianco.  O inusitado método de geração de improviso garante um genuíno e inteligente show humorístico desprovido de obviedade cômica, coletando histórias distintas em meio ao público presente a cada apresentação, durante os setenta minutos de espetáculo.

O cenário de Gigi Barreto toma como base um estúdio fotográfico, a partir do qual, um fundo infinito define a policromia como divisor de águas entre o processo de dramatização das histórias – criadas pelos fragmentos de informação extraídos de um espectador eleito pela sutil seletividade do elenco – e os bastidores expostos, porém desfocados pela penumbra, onde um músico e os atores aguardam a deixa para se fazerem presentes em cena.  Definidas as bases estratégicas de desempenho nas histórias montadas a partir de um quebra-cabeças formado por palavras, dá-se início a uma impressionante batalha promovida pelo processo de revezamento criativo de cada um dos atores. O desenho de luz de Felipe Lourenço é tão dinâmico quanto o é cada cena improvisada, cujo título é levado ao conhecimento dos espectadores através do recurso de videografismo. A genialidade do processo não teria sucesso garantido não fosse a direção de Barbara Duvivier que trabalha, de forma sutil, a flexibilidade da diversidade dos enredos que se fazem presentes, a cada espetáculo, a ponto de não engessar, mas liberar a criatividade e o desempenho pessoal de cada um dos artistas.

Certo de que, a história contada durante a apresentação na qual se fez presente, é única e não mais será repetida em outra apresentação, o Circuito Geral sugere aos espectadores adeptos ao humor com arte, que compareçam à plateia munidos de uma boa experiência de vida para que, na eventualidade de serem selecionados pelo crivo dos humoristas, possam fazer parte do infinito repertório de “Portátil”.

Fotos - Circuito Geral

Nenhum comentário:

Postar um comentário