Counter

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Curumim


Compreende todo o sofrimento imposto ao homem não mais pedante e sem o ar de superioridade diante da morte

O brasileiro Marco Archer, fuzilado na Indonésia em janeiro de 2015 após ser condenado por tráfico de drogas, tem os seus últimos dias de vida transportados para as telonas pelo diretor Marcos Prado – em respeito ao pedido de Archer de ser tomado como exemplo para outros jovens que possam vir a ter suas vidas envolvidas com o narcotráfico.

O documentário “Curumim” reproduz as cartas escritas de dentro do presídio e filmagens realizadas pelo próprio Archer, enquanto aguardava a sua hora no corredor da morte – uma narrativa repleta de flashes de sua infância, juventude e de sua vida em família. Curumim, nome pelo qual Archer era conhecido pelos amigos na época que era jovem rico e esportista, compreende todo o sofrimento imposto ao homem não mais pedante e sem o ar de superioridade diante da morte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário