Counter

terça-feira, 4 de abril de 2017

Rafael Barros Castro – Beco das Garrafas


No coração da Princesinha do Mar, a noite de 31 de março de 2017 é lacrada com muito requinte musical no icônico e boêmio “Beco das Garrafas”. Na intimidade e aconchego do Bottle’s Bar, o show fica por conta do maestro, compositor, arranjador, pianista e cantor – Rafael Barros Castro, notoriamente acompanhado pelo talento dos instrumentistas Cláudio Alves, no contrabaixo e Reginaldo Vargas, na percussão.

No palco da casa tida como o berço da Bossa Nova e onde pisaram grandes expoentes da música brasileira, Barros dá início à sua apresentação homenageando Orlandivo, com “Tamanco No Samba (Samba Blim)” e prosseguindo na cadência com “Cidade de São Sebastião”, de Antônio Nássara e Wilson Batista. As participações especiais da noite presenteiam os espectadores com o som encorpado e doce da viola de Bernardo Fantini, acentuando a emoção contida no samba autoral de Barros – “Primavera no Rio”, abrindo alas para a apresentação de um outro samba, segundo o maestro, em estilo pré-bossa nova – “Sorriu pra Mim”, assinado por Aníbal Augusto Sardinha, mais conhecido como Garoto. Presenteando mais uma vez os espectadores do Bottle’s naquela acolhedora noite de sexta-feira, Jaime Alem – diretor musical dos espetáculos realizados por Maria Bethânia – sobe ao palco para, junto com Castro, entoarem “Pra Gente Cantar” – “um canto de amor cheio de paz, que vem em forma nobre de oração” – parceria entre Barros Castro e Rody da Mangueira, que deu origem a um clipe lançado em 2015.

Momento mais que descontraído do show, o maestro cantor dotado de uma voz adocicada – nata da essência do cantarolar de um canarinho petropolitano – após fazer menção ao músico, cantor, compositor e arranjador carioca Danilo Caymmi, convida seu público para o acompanhá-lo durante a execução de música de sua autoria – “Estrela Menina”, a partir de uma coreografia ingenuamente brejeira, seguida passo a passo por todos, quando do refrão – “Iê... estrela, Iê... menina”.

Taiguara também é lembrado por Barros a partir da música “Hoje”, antes de interromper o show por quinze minutos, durante os quais honrou a todos, individualmente, com um cativante e caloroso cumprimento e, após os quais a noite retoma a melodia a partir de um “Concerto para a Juventude” – um tributo a Cartola, com o instrumental de “As Rosas Não Falam”, “Corra e Olha o Céu” e do canto de “Alvorada”. A generosidade do anfitrião divide, mais uma vez, o palco do Bottle’s, ao som de “Um Girassol da Cor de Seu Cabelo” de Lô e Márcio Borges, interpretada por Nair Cândia e acompanhada por Jaime Alem, um dos momentos mais ovacionado pelo público.

O final do show homenageia Noel Rosa, com “Onde Está a Honestidade?”, quando palco e plateia se transformam em um coral uníssono, regido pela descontração e a amizade de Rafael Barros Castro, naquela noite memorável e intimista em uma das casas de shows mais autênticas das noites cariocas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário