Counter

sexta-feira, 12 de maio de 2017

O Dia do Atentado


Sem drama e sem patriotismo

O registro fictício-documental em torno do atentado terrorista ocorrido durante a Maratona de Boston, no dia 15 de Abril de 2013 – quando a explosão de duas bombas feitas com panelas de pressão causou a morte de três pessoas e feriu outras 264 – é a tônica de mais uma obra de Peter Berg: “O Dia do Atentado”. O roteiro ditatorial, compartilhado entre Berg, Joshua Zetumer e Matt Cook, injeta dinamismo à narrativa, literalmente explosiva. O perfeccionismo injetado na produção é percebido desde a definição do brilhante elenco, composto por Mark Wahlberg; Kevin Bacon; John Goodman; J. K. Simmons, dentre outros, passando pela revelação dos diversos núcleos aparentemente desconexos que se juntam ao longo da trama, mergulhando na sequência do plano terrorista que eclode na execução do ato em si, dando seguimento à investigação e à captura dos irmãos chechenos Dzhokhar Tsarnaev e Tamerlan Tsarnaev, devastadoramente interpretados por Alex Wolff e Themo Melikidze.

À película lhe é conferida a capacidade de provocar no espectador todas os estados e emoções cabíveis pela proposta da produção – atenção, lembranças, conexões, horror, revolta, identificações e esperança. Paralelamente, o equilíbrio na descrição dos fatos relacionados ao ataque, humaniza os personagens que direta ou indiretamente, tiveram suas vidas modificadas, fato este que se conecta ao público de forma linear, sem drama e sem patriotismo, mas pelo fator humano a partir do qual os verdadeiros heróis deixam de ser fictícios.


Nenhum comentário:

Postar um comentário