Counter

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Lady Macbeth


Inocência densamente desfigurada

“Lady Macbeth do Distrito de Mtsensk” – considerada a obra prima do escritor russo Niklai Leskov, publicada pela primeira vez em 1865 – é adaptada por Alice Birch e transportada para as telas de cinema, pela genial direção de William Oldroyd, intitulada, minimalistamente, por “Lady Macbeth”.

A história tem início com o casamento de Katherine (Florence Pugh), comprada por Boris (Christopher Fairbanks) – pai do homem com quem se casou – juntamente com um terreno, insuficiente para o pasto de uma vaca. Após o casamento, Katherine é levada, pelo marido Alexander (Paul Hilton) – homem com cerca do dobro de sua idade – para morar na propriedade de seu pai, e define as regras as quais sua esposa deve seguir. A partir de então, Katherine passa a nutrir um processo de mortal desobediência diante de tamanha falta de respeito e de sexo, abrindo caminho para que um triângulo abjeto – cujo terceiro vértice é assumido por Sebastian (Cosmo Jarvis) – desencadeie uma série de crimes e luxurias.

O brilhantismo de Birch enxerta uma inocência densamente desfigurada no roteiro e a destrói, aos poucos, diante dos olhos impactados do espectador que, ao final da sessão, poderá assegurar ter assistido ao melhor filme do segundo semestre de 2017.


Nenhum comentário:

Postar um comentário