Counter

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Agosto


Humor perverso, personagens obscuros, relações inimagináveis e acidez comportamental acentuada

A assembleia de uma família disfuncional na casa da matriarca – após a morte do cônjuge, em pleno verão no meio oeste americano – dá a tônica ao espetáculo “Agosto” com o cortante texto assinado por Tracy Letts e traduzido por Guilherme Siman, que expõe, em doses homeopáticas, os podres daquele núcleo psicótico. André Paes Leme assina a direção e a adaptação de forma ritmada e sustenta a narrativa, surpreendentemente, com requintes hipnóticos sobre a plateia durante os cento e vinte minutos de espetáculo. Paulatinamente, segredos reservados por anos vêm, suavemente, à tona, alimentando a capacidade de interpretação e permitindo a captura individual dos momentos da trama pelo elenco composto por: Guida Vianna (Violet Weston), Letícia Isnard (Barbara Fordhan), Alexandre Dantas (Steve Heidebrecht), Claudia Ventura (Karen Weston), Claudio Mendes (Charlie Aiken), Eliane Costa (Mattie Fae Aiken), Guilherme Siman (Charlie Júnior), Isaac Bernat (Beverly Weston/Bill Fordham), Julia Schaeffer (Johnna Monevata), Lorena Comparato (Jean Fordham) e Marianna Mac Niven (Ivy Weston). A diversidade de cenas e respectivos cômodos é materializada pela concepção cenográfica de Carlos Alberto Nunes – como se em uma instalação artística digna de uma mostra de arte – que aposta no imaginário do espectador, ao mesmo tempo que Renato Machado amplia o campo de visão com o seu desenho de luz que desafia a acuidade visual dos espectadores – ora com mínima sugestão de emissão lumínica, ora com o ofuscamento tão doloroso quanto as revelações impactantes em pleno seio familiar. O figurino enxuto de Patrícia Muniz evidencia o luto sem cair na tristeza intensa da situação.

O aprofundamento da história otimiza o drama contido em “Agosto” com humor perverso, personagens obscuros, relações inimagináveis e acidez comportamental acentuada a partir do momento que a plateia passa a identificar núcleos familiares e situações similares, muito presentes em suas vidas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário