Counter

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

CASACOR 2017 Rio de Janeiro


Três escadas rolantes darão acesso ao Lobby. Neste espaço, os visitantes vão encontrar o restaurante, um bar de vinhos, um café, uma livraria e mais algumas lojas.


"A partir do trabalho que fiz para o Museu do Amanhã − desenho de mobiliário e interiores de vários espaços − criei um elo com a Região Portuária e passei a ter um olhar amplo sobre esta área da cidade", diz o arquiteto.


O ambiente tem duas zonas de espera divididas pela área do balcão da recepção: a primeira área fica logo na entrada e a segunda, próxima ao restaurante, servindo de local de espera no horário de pique.


Um antigo retrato de 3,10 m x 2,60 m, do Conselheiro Mayrinck, maior empreendedor brasileiro do fim do século XIX, com negócios nas mais diversas áreas  − dentre elas, bancos, companhias de estrada de ferro, navegação, indústrias, estaleiros e docas − foi o ponto de partida do projeto do Restaurante.


O espaço de 88 m² oferece diferentes tipos de propostas: cadeiras Casulo, que tem laterais altas, para quem quer curtir um vinho sozinho, pequenos lounges para confraternizações de amigos, banquetas de bar, pufes soltos de cores e alturas diferentes.


A galeria foi desenvolvida para o lançamento da linha Gus, da grife Arnaldo Gonçalves e permite à marca fazer pequenos eventos internos ou grandes eventos, integrados ao Wine Bar, que fica bem ao lado, com apenas uma parede de vidro entre os ambientes. Assim, a dupla criou um espaçoso living, com área de exposição dos produtos e de fechamento de negócios e cercado pelos óculos do designer brasileiro Gustavo Gonçalves.


O layout foi pensado para que o contato com o livro aconteça de forma espontânea: pegar um título e folhear, dialogando com o ambiente, seja num sofá, em poltronas, na mesa ou até mesmo de uma forma mais despojada, num banco.


Um projeto pensado para ser simples, sem ser simplório; leve, sem concorrer com a beleza das flores, e com um toque de sofisticação, que o AQWA Corporate exige.


A loja expõe os produtos orgânicos de fabricação do SPA, em grandes nichos de madeira com iluminação bem dramática, num ambiente com predomínio de tons claros no contraste com a madeira no piso e nos móveis e com tons de cinza claro nas paredes e no piso.


Para tornar o espaço divertido e com personalidade, Thais usa peças de maneira inusitada, como os quadros criados com talheres e as peças antigas com frases gravadas.



O tom que reina no espaço é o pink millennial, um tom de nude rosado, que compõe com delicadeza a paleta de cores permeada ainda pelo branco e bronze, com toques de preto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário