Counter

quinta-feira, 26 de abril de 2018

Somente o Mar Sabe


Uma poderosa história, baseada em fatos reais, que se digna compartilhar com o espectador circunstâncias que não merecem ser salvas de se afogarem em um mar de misericórdia


Donald Crowhurst (Colin Firth), um autêntico homem de família e empresário dos anos 1960, decide turbinar a sua pacata vida a partir de uma decisão unilateral de abandonar sua família e tomar parte em uma disputa, durante a qual deverá navegar pelo mundo em uma pequena embarcação, por um vultuoso prêmio – a despeito de sua inexperiência e despreparo frente ao desafio que deverá enfrentar. A aventura de Crowhurst flui em alto mar e marcada por tragédia anunciada.

A direção de James Marsh é obstinada e chafurda no tão antiquado orgulho solitário masculino, temperado com azedume de realidade desconfortante, ao fazer o espectador analisar o porquê de um ser humano, com suas faculdades mentais aparentemente saudáveis, arriscar tudo o que tem na vida, por uma satisfação pessoal comandada pela vaidade e pelo egocentrismo. O atoleiro moral psicológico do protagonista é baseado nos diários encontrados na embarcação, quando fora encontrada em 1969.

“Somente o Mar Sabe” é uma poderosa história, baseada em fatos reais, que se digna compartilhar com o espectador circunstâncias que não merecem ser salvas de se afogarem em um mar de misericórdia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário