Counter

quinta-feira, 31 de maio de 2018

Dedo na Ferida


Não obstante da velada intenção de provocar debate sobre o assunto, com sua narrativa esclarecedora, o documentário não se mostra forte o suficiente a ponto de mobilizar ou conscientizar


Abordando a influência do capital na política, o carioca Silvio Tendler – conhecido como “o cineasta dos sonhos interrompidos” – põe o “Dedo na Ferida” – o seu mais novo documentário – através do qual constrói a hipótese do sistema financeiro levar o mundo à miséria absoluta.

De forma didática, toma como paradigma um indivíduo, morador de Japeri, profissão podólogo, e compartilha com o espectador, um dia da sua rotineira viagem diária até Copacabana, onde trabalha. De forma tal a embasar a sua linha de raciocínio, Tendler conta com os depoimentos do ex-ministro das finanças da Grécia, do ex-ministro das Relações Exteriores do Brasil, do vice-presidente do banco dos Brics, além de testemunhos de outros cineastas, de intelectuais e de economistas. Não obstante da velada intenção de provocar debate sobre o assunto, com sua narrativa esclarecedora, o documentário não se mostra forte o suficiente a ponto de mobilizar ou conscientizar o povo brasileiro, quiçá a população de todo o mundo, muito em função de seu caráter crítico político, aquém da necessária divulgação das informações contidas no longa para uma considerável fração de mundo apartidário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário