Counter

sexta-feira, 1 de junho de 2018

Edson Cordeiro - “Fado Tropical”


Em apresentação única de encerramento da turnê, “Fado Tropical” emociona o espectador com a interpretação de Cordeiro de uma seleta coletânea de fados


A poderosa voz de Edson Cordeiro ecoa na noite do dia 30 de maio de 2018, quarta-feira, véspera do feriado de Corpus Christi, na plateia lotada do Theatro Net Rio.

Em apresentação única de encerramento da turnê, “Fado Tropical” emociona o espectador com a interpretação de Cordeiro de uma seleta coletânea de fados de autoria de Alfredo Marceneiro, Alberto Janes, David Mourão Ferreira e Matheus Nunes, dentre outros, igualmente surpreendentes. Acompanhado pelos fadistas brasileiros – Wallace Oliveira, na guitarra portuguesa e Sérgio Borges, no violão – a límpida voz do contratenor paulista de Santo André faz da noite uma experiência emocionante, não só para os apreciadores do estilo musical português, mas do seu público consagrado que acompanha a sua trajetória como cantor solo há quase trinta anos.

Em breve pausa no estilo que define o playlist principal do espetáculo, Cordeiro presenteia a plateia homenageando a Pequena Notável – Carmem Miranda, interpretando “Disseram que eu voltei americanizada” e a Voz do Brasil – Dalva de Oliveira, com “Estrela do Mar”. Sua generosidade para com os parceiros de profissão traz ao palco o convidado especial da noite – o sambista Leo Russo, com quem compartilha o microfone em “Que Tiro é Esse”. Preservando a mística veia lusitana do espetáculo, Cordeiro provoca efusivos aplausos por parte de uma plateia encantada pelo seu carisma e pela sua voz, entoando uma versão soft do sucesso de 1989 – “Lovesong”, de autoria de Robert Smith da banda The Cure.

A cantora e atriz Amália Rodrigues se faz presente com “Fria Claridade”, através da ambivalente voz de Cordeiro que enuncia o fim de sua apresentação, sob aplausos e pedidos de bis, prontamente concedido pelo contor, com a derradeira interpretação da noite do sucesso homônimo do show – “Fado Tropical”, de Chico Buarque e Ruy Guerra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário