Counter

quinta-feira, 7 de junho de 2018

Oito Mulheres e um Segredo



Gary Ross, confiante de sua direção, rouba a franquia de seus proprietários originais e transforma a comunhão feminina em algo inegavelmente significativo e propenso ao sucesso


Sofisticação e trama extremamente bem desenhada definem o perfil do spin off da trilogia ‘Onze Homens e um Segredo’ – o longa intitulado “Oito Mulheres e um Segredo”, contemplando um elenco estelar constituído por Sandra Bullock, Cate Blanchett, Anne Hathaway, Helena Bonham Carter, Rihanna, Mindy Kaling, Awkwafina e Sarah Paulson.


Assistir a um elenco dessa magnitude tramando o roubo do colar de diamantes mais valioso do mundo, no prestigiado Met Gala, em Nova York, definitivamente, não tem preço. Gary Ross, confiante de sua direção, rouba a franquia de seus proprietários originais e transforma a comunhão feminina em algo inegavelmente significativo e propenso ao sucesso - tamanha a elegância com que o filme se apresenta ao espectador e a atração que desperta aos apreciadores dos golpes de mestre, que endossam a negativa da máxima de que o crime não compensa.

Assumindo tal vertente, o longa de Ross desafia e subverte todas as expectativas e, sem ponderação, sai vitorioso ao elevar o entretenimento em algo espetacular, quase mágico, tal e qual uma linda história infantil que conta que ‘em algum lugar existe uma menina de oito anos deitada na cama, sonhando em ser uma criminosa’ – fazendo com que, quem conta o conto, convoque suas sete ouvintes a praticarem um crime em nome da pequena personagem.


Nenhum comentário:

Postar um comentário