Counter

sábado, 30 de junho de 2018

Um Tom de Saudade


Uma aura familiar, um encontro entre amigos e um brinde aos fãs e a uma nova geração de ouvintes das obras do maestro Tom Jobim


Um tributo a Antonio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim é a missão do projeto “Um Tom de Saudade”, que acontece na noite de 29 de junho de 2018, no Teatro Clara Nunes, bairro da Gávea, Rio de Janeiro – produzido, de forma lapidar, por Maria Braga Produções Artísticas.

Em um palco desprovido de recursos cênicos, mas somente a necessária luminotecnia cênica comedidamente dosada e o desenho de som, tão confortável para os instrumentistas e vocais quanto para a plateia, os maestros Rafael Barros Castro (piano e voz) e Jaime Alem (violão e voz) – responsáveis pela direção musical do show – acompanhados pela cantora Nair Cândia e pelo quinteto de cordas da Orquestra de Solistas do Rio de Janeiro (OSRJ) composto por André Cunha (violino I); Leonardo Fantini (violino II); Bernardo Fantini (viola); João Bustamante (violoncelo); e Cláudio Alves (contrabaixo acústico) apresentam dezesseis canções de Tom Jobim, dentre elas: ‘Chega de Saudade’, ‘Insensatez’ e ‘Anos Dourados’ que se misturam a outros sucessos instrumentais –  todos com arranjos exclusivamente criados para o show, assinados por Castro e Alem.

A proposta de levar a configuração de “Um Tom de Saudade” para uma casa de espetáculos como o Teatro Clara Nunes, cuja vocação é consagrada pelas peças de teatro e musicais, resulta em uma plateia lotada – da mesma forma que já ocorre em outros espaços voltados para a execução de música e realização de shows – em plena noite de quinta-feira e que, ao final do espetáculo, deixa o estabelecimento proferindo comentários mais que elogiosos,  sob o encantamento da experiência musical a que foi submetida.

A abrangência da seleção musical e a maneira descontraída com a qual os dois maestros conduzem o espetáculo, conseguem criar uma aura familiar, um encontro entre amigos e um brinde aos fãs e a uma nova geração de ouvintes das obras do maestro Tom Jobim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário