Counter

quinta-feira, 19 de julho de 2018

Uma Quase Dupla


Uma comédia no real sentido da palavra, sem subterfúgios ou entrelinhas, para o público gargalhar e sair da sala de projeção querendo mais

Dois policiais – Keyla (Tatá Werneck), uma investigadora que acredita poder resolver qualquer caso sem a menor ajuda e, Claudio (Cauã Reymond), um subdelegado cuja eficiência e competência deixam muito a desejar – mesmo sem terem nada em comum, se veem obrigados a trabalhar juntos na bucólica cidade de Joinlândia, por conta da ocorrência de um estranho homicídio.

Recheado de referências dos filmes policiais dos anos 1970 - “Uma Quase Dupla” é uma comédia no real sentido da palavra, sem subterfúgios ou entrelinhas, para o público gargalhar e sair da sala de projeção querendo mais. A direção de Marcos Baldini assume um desempenho visionário como se modelasse a produção com vistas a uma franquia em potencial. A pegada do roteiro, a partir do humor rasgado, captura a atenção do espectador, de tal forma, que denuncia uma natural capacidade de reciclagem, que vai muito além da produção de um primeiro episódio de um seriado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário