Counter

quinta-feira, 11 de abril de 2019

After




Direcionado a jovens pré-adolescentes

Antes de se tornar uma trilogia publicada, “After” foi concebida, originalmente, no formato de uma fan fiction postada no Wattpad – rede social contemplando plataforma, através da qual é possível criar, publicar histórias e permitir que seus leitores acompanhem o seu trabalho, capítulo por capítulo, através do aplicativo, podendo, adicionalmente, comentar, dar estrelas e enviar mensagens privadas.


Ciente do potencial financeiro daquele projeto, Anna Todd cria uma história centrada em Harry Styles, Liam Payne e Zayn Malik – os componentes da banda One Direction – capturando a atenção dos fãs e fazendo da história um enorme sucesso, quase de imediato. Consequentemente, as editoras passam a assediar Todd que, em seguida, assina um contrato milionário para transformar a sua ficção em um filme, sob a direção de Jenny Gage. Assumindo o seu ofício junto ao projeto de Todd, Gage altera algumas partes do roteiro para contar a vida de Thereza Young (Josephine Langford) ou, somente Tessa – uma garota que vive tranquilamente na companhia de seu namorado, que conheceu na infância, e de sua zelosa mãe, que batalha em prol da prosperidade de sua filha. Ambos acompanham a jovem Tessa em seu primeiro dia de faculdade – um sonho alcançado pela jovem. Sua colega de quarto – Steph (Khadijha Red Thunder) – é uma autêntica garota descolada, sempre acompanhada de vários garotos – dentre os quais, o misterioso e aparentemente arrogante Hardin Scott (Hero Fiennes Tiffin), por quem Tessa cultiva uma antipatia clichê que, no decorrer da história, se transforma em um forte impulso amoroso.

O longa “After” parece ser direcionado a jovens pré-adolescente – embora a sua classificação indicativa seja acima de 14 anos, no Brasil. Concebido a partir de um enredo previsível, finalizado descaradamente apontando para uma franquia, desenvolvido em meio a um roteiro segundo narrativa desmotivante e impulsionado por uma trama controversa, que tem tudo para se tornar uma saga sobre personagens sem carisma, que usam como preceito a desculpa de que o ‘amor’ sempre fala mais alto, incondicionalmente.




Nenhum comentário:

Postar um comentário