quinta-feira, 30 de janeiro de 2020

O Diabo Em Mrs. Davis




‘Malvada’

“O Diabo Em Mrs. Davis” é um espetáculo monologado com base em uma série de palestras – também conhecidas como One Woman Shows – proferidas por uma das atrizes mais reverenciadas da história do cinema – Bette Davis – realizadas entre 1985 e 1986, quando já se encontrava afastada das telas.


Involuntária e despretensiosamente, a atriz Andrea Dantas se auto condecora a partir da frase de autoria da personagem a quem cedeu sua capacidade interpretativa – ‘Que culpa eu tenho de ser brilhante?’. O esplendor da intérprete toma conta da boca de cena quando da sua entrega ao texto de Jau Sant’Angelo, que acaba por se abstrair relativamente aos atributos físico-estéticos de Davis, abusa da sua capacidade de síntese e se empenha em explorar todo o universo dramático de Dantas no qual, sem qualquer esforço, encarna a ‘malvada’ cuja morte deixou um vazio nas telas do cinema há cerca de 30 anos. O conceito de ‘mulher independente’ idealizado pelo cinema americano é a principal engrenagem da direção de Aloisio de Abreu que, não somente expõe ao público, a essência do ícone do cinema reconhecida pela sua fama de má, sádica e autoritária, mas também revela a sua dedicação, generosidade e obstinação pelo perfeccionismo – tudo, admiravelmente, sem exagero artístico ou pirotecnia cênica. A imagem da sofisticação e da sensualidade da atriz ganha contorno impiedoso pelo figurino de  Marcelo Marques, que personifica a sua beleza nada convencional, dotada de muito charme,  em conjunto com o visagismo de Walter do Valle, que delineia seus olhos, com formatos refinadamente incomuns, salientando, notavelmente, sua expressão dramática. A magnitude do espetáculo conta com uma ambientação cênica que preserva a sua força, talento e suas explosões sentimentais, desenhadas por Dantas e Sant’Angelo, como se o espectador fosse parte integrante da plateia de One Woman Shows, hipnotizado pelo peculiar e enigmático olhar, digno da canção interpretada por Kim Carnes, em 1974.

Cinquenta e oito minutos com Andrea Dantas representam nada menos do que um intenso mergulho na essência de Mrs. Davis, revelando o diabo que deixa de habitar as profundezas do fogo do inferno e se muda para o céu, para junto de uma estrela de grande magnitude, cuja própria luz é capaz de ofuscar os holofotes de Hollywood.

Nenhum comentário:

Postar um comentário