quarta-feira, 5 de fevereiro de 2020

Jojo Rabbit




Sob o signo do fanatismo

Na tela, Roman Griffin Davis se entrega ao papel do garoto de dez anos, Johannes Betzler - cujo apelido Jojo confere título ao filme – que tem a infância marcada pelas atrocidades praticadas pelo exército à serviço do governo alemão, controlado por Adolf Hitler e pelo Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores, no período correspondente ao Terceiro Reich.


Jojo é membro da Juventude Hitlerista e sonha em se tornar um herói de guerra ariano. Porém, enquanto sua aspiração é fadada à frustração – tendo em vista a delicadeza e sensibilidade ímpares que tomam conta da sua essência infantil - a concretização de seus planos é, literalmente, detonada por uma granada que explode em sua mão, tornando-o incapaz, fisicamente, de participar de futuros combates. Consequentemente, a instituição lhe atribui as tarefas mais servis, incluindo a distribuição de folhetos de recrutamento. Em meio a todas as subtrações que a vida lhe reserva, Jojo também é obrigado a rever os conceitos que fazem parte de sua compreensão sobre relações sociais, ao descobrir uma adolescente judia (Thomasin McKenzie) escondida, por sua mãe (Scarlett Johansson), no sótão de sua casa. Sua visível introspecção e isolamento ao qual se reserva lhes entregam à fantasia de ter, Adolf Hitler, como um confidente umbrático – caricatamente incorporado pelo neozelandês Taika Waititi, autor do texto e o intendente pela desafiadora e perturbadora direção do longa, baseado na obra literária ‘Caging Skies’, assinada por Christine Leunens.

Sob o signo do fanatismo, o longa “Jojo Rabbit” confere incertezas sobre a sua classificação como comédia, tendo em vista o confronto promovido entre horror e asco, e a demanda por reflexão sobre a visão do Füher do povo e do Reich alemão por parte do espectador, resultando numa sátira que assume o formato do humor mórbido e que atenua a carga dramática contida no universo da obra, metamorfoseado em um filme para adulto, protagonizado por uma criança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário