ALICE MANDOU UM BEIJO - Interior do Brasil, nos anos 1980

Uma inesperada instabilidade na convivência familiar

Estimulado pelas experiências alternativas durante a pandemia, Rodrigo Portella, diretor premiado no Brasil e Montréal com "Tom na Fazenda", decide mergulhar no audiovisual e estreia neste fim de ano a peça ‘ALICE MANDOU UM BEIJO’ ganha versão cinematográfica experimental.

A história de ‘ALICE MANDOU UM BEIJO’ se passa no interior do Brasil, nos anos 80. Começa às vésperas do Natal, durante o cortejo funerário da filha caçula de uma família de três irmãs. Jandira, a mais velha, é quem segura a barra de cuidar do pai senil, da irmã e de seu filho Robério, um rapaz de 17 anos, com autismo severo, a quem ela dedica inabilmente a maior parte do seu tempo. Com a morte de Alice, elas se veem diante de uma inesperada instabilidade na convivência familiar. A ausência de Alice acaba por disparar uma série de acontecimentos que revelam a fragilidade das relações que se estabeleceram durante toda uma vida dentro daquela casa. Era Alice quem dava sentido à vida em comum. Diante da morte, as relações se desequilibram, se revelam estranhas e até mesmo impossíveis.

O discurso poético-narrativo da peça-filme tem como base principal as urgentes reformulações de uma sociedade fincada no patriarcado, a falência do modelo vigente e a necessidade tardia de revisão dos papéis e da libertação dos corpos.

Para a realização dessa obra, Portella e a sua Cia Cortejo (que em 2021 completa 10 anos de atividades) se associaram a outros artistas nos segmentos da dança, do teatro, da música e do audiovisual. A direção de Fotografia é de José Limongi, formado pela Ecole Luis-Lumière. A trilha original foi composta por Marcelo H, conhecido por seu trabalho no premiado “Tom na Fazenda” em parceria com o italiano Federico Puppi. Outros 34 profissionais compõem a ficha técnica, sendo a grande maioria moradores ou oriundos de Três Rios, cidade em que se situa a ação da peça e onde foi rodado. O elenco é formado por Mariane Mockdece, Luan Vieira, Ricardo Gonçalves, Milla Fernandez e Guaracenir Bravo.

Ficha técnica

Governo Federal, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, através da Lei Aldir Blanc e o Cortejo apresentam ALICE MANDOU UM BEIJO

Roteiro e direção: Rodrigo Portella | Diretor de fotografia: José Eduardo Limongi | Arte: Julia Deccache | Steadicam: Fabrício Tadeu | Desenho de som e mixagem: Tiago Picado | Trilha Sonora Original: Marcello H | Violoncello: Federico Puppi | Violão e guitarra: Juliano Buarque | Color Grading: Fabrício Batista | Assistente de direção: Maria Clara El-Bainy | Primeiro assistente de câmera: Douglas Lacerda | Eletricista: Stuart Nascimento | Contra-regra: Paulo Cesar Cerqueira | Montagem: João Felipe Freitas | Preparação corporal: Mariane Mockdece | Som direto: Diogo Perdigão | Still e making of: Leo Marvet | Arte gráfica: Milla Fernandez | Créditos e legenda: Anaxi Altamiranda | Assessoria de imprensa: Ney Motta | Elenco de apoio: Edvaldo Freire, Manoel Alves, Jussara Lima, Rosa Almeida e Emerson Dezidério | Agradecimentos: Joel São Tiago, Verônica Rocha, Fernanda Loureiro, Paula Ströher, Nathália Gastim, João Victor Cavalcante, Laura Shalders e Sandra Rebello | Agradecimento especial a Laura Castro e família e a Giu Ribeiro Confeitaria | Musica: Motherless Child de Harry Burleigh, interpretada por Milla Fernandez | Produção executiva: Andrea Phebo | Direção de Produção: Rodrigo Portella | Realização: Governo Federal, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, através da Lei Aldir Blanc e O Cortejo.

Serviço

Temporada: até 30 de novembro de 2021

Transmissão pelo


Classificação: 14 anos

Duração: 30 min

Gratuito



4 visualizações0 comentário