Bule - 'Desagradar' - Do synth pop ao brega romântico pernambucano

Tão certo como a morte é o fato de que não podemos agradar todo mundo

Com riffs e baixo sintetizado, percussões que remetem ao brega romântico pernambucano e as influências das guitarras que vão de Passo Torto a Daft Punk, a banda de pop psicodélico Bule usa leve tom irônico para falar e refletir sobre o ato e sentimento de desagradar.

A faixa chega às plataformas digitais pelo selo Toca Discos.



Tão certo como a morte é o fato de que não podemos agradar todo mundo. Vamos desagradar. Não tem pra onde. Inevitavelmente, vamos decepcionar até as pessoas que mais amamos. Mas, durante a vida, podemos lidar com isso de diferentes maneiras. Fugindo. Mentindo para nós mesmos, nos iludindo, achando que estamos bem com isso.

"Ou finalmente podemos encarar a realidade: desagradar faz parte da nossa essência como seres humanos", contextualiza o Bule, banda que nasceu em 2017, em Recife, e vem se firmando como expoente do synth pop brasileiro.

Para a quarteto, formada por Pedro Lião (voz, guitarra, sintetizadores), Carlos Filizola (guitarra, sintetizadores, programações), Daniel Ribeiro (percussão, programações), Bernardo Coimbra (contrabaixo, sintetizador) e Kildare Nascimento (bateria), desagradar é quase como respirar.

Para esta faixa, revela a banda, a fim de curiosidade, a grande referência sonora foi o primeiro disco de Madonna, sobretudo nos hits Borderline e Holiday, posteriormente diluídos no caldeirão musical do Bule, entre timbres, sonoridades e substâncias do eletrônico, beats, conga, synth e guitarra.

Ficha técnica

Produção: Bule

Mixagem: Carlos Filizola

Composição: Pedro Leão

Letra: Toni Lamenha

Selo: Toca Discos

Distribuição: Altafonte


3 visualizações0 comentário