Cerca Viva - Casal que, na década de 1950, deixa a capital para viver numa cidade rural

A imagem da família tradicional perfeita

Com dramaturgia de Rafael Souza-Ribeiro e direção de Cesar Augusto, o espetáculo “Cerca Viva” traz Camila Nhary e Cirillo Luna no papel de um jovem casal que, na década de 1950, deixa a efervescência da capital para viver numa cidade rural em pleno processo de urbanização. Postergando seus sonhos, ela abdica de uma promissora carreira para acompanhar o marido em um novo emprego na indústria. Em pouco tempo, com a rotina do casamento e o convívio com um casal de vizinhos mais velhos (Sávio Moll e Ângela Rebello), eles questionam o vazio de suas vidas ao tentarem construir a imagem da família tradicional perfeita.


Mais do que apresentar a história de um casal em crise, a peça reflete sobre as agruras da mulher dentro do casamento, na maternidade e na realização profissional e elucubra sobre as pressões e os padrões estabelecidos por uma sociedade burguesa e patriarcal. “O desejo de montar esse espetáculo veio do momento político e sociocultural que passamos no país. Eu percebo a volta de uma onda conservadora, dos chamados ‘valores morais’ que ditam os costumes da família tradicional brasileira. Um espelho do passado”, comenta a atriz Camila Nhary, idealizadora do projeto.

Em cena, Camila é Lúcia, uma mulher moderna, cosmopolita e de classe média, que vive com um marido amoroso, Luiz, em uma casa confortável. Ela teme repetir os passos da mãe, mas se vê sufocada e com sua identidade desintegrada com a cobrança de exercer um papel que nunca sonhou: o de esposa devotada e dona de casa. Em meio à efervescência política da Era Vargas, a pressão sobe ainda mais com a interferência do casal vizinhos, separados apenas por uma pujante cerca viva, que dá nome ao espetáculo.


FICHA TÉCNICA

Elenco: Angela Rebello, Camila Nhary, Cirillo Luna e Sávio Moll. Texto: Rafael Souza-Ribeiro. Direção: Cesar Augusto. Assistente de direção e Stand-in: Gabriel Albuquerque. Cenário: Elsa Romero e Luiz Henrique Sá. Iluminação: Ana Luzia Molinari de Simoni. Figurino: Bruno Perlatto. Assistente de figurino: Evelyn Cirne. Visagismo: Márcio Mello. Direção musical: Marcello H. Designer: Raquel Alvarenga. Fotografia: Renato Mangolin. Operador de som: Rômulo Chindelar. Assessoria de imprensa: Catharina Rocha. Mídias sociais: Felipe Z Guzzo e Catharina Rocha. Cenotécnica: Fátima de Souza. Produção executiva e controler: Camila Candal. Assistente de produção: Marcus Liberato. Direção de produção: Damiana Inês. Idealização: Camila Nhary.

SERVIÇO 2022

Lona Cultural Municipal Carlos Zéfiro – Anchieta

Estrada Marechal Alencastro, s/nº

Espetáculo: 30 de abril e 1º de maio (sábado e domingo), às 19h

A apresentação de sábado contará com intérprete de LIBRAS

Bate-papo: 30 de abril, após o espetáculo

Workshop com Camila Nhary, Rafael Souza-Ribeiro e Cesar Augusto: 1º de maio, das 14h às 17h

Teatro Municipal Ruth de Souza (Parque das Ruínas) – Santa Teresa

R. Murtinho Nobre, 169

Espetáculo: 19 e 20 de maio (quinta e sexta), às 19h

A apresentação de quinta contará com intérprete de LIBRAS

Bate-papo: 19 de maio, após o espetáculo

Workshop com Camila Nhary, Rafael Souza-Ribeiro e Cesar Augusto: 20 de maio, das 14h às 17h

Lona Cultural Municipal Terra – Guadalupe

Rua Marcos de Macedo, s/nº

Espetáculo: 28 e 29 de maio (sábado e domingo), às 19h

A apresentação de sábado contará com intérprete de LIBRAS

Bate-papo: 28 de maio, após o espetáculo

Workshop com Camila Nhary, Rafael Souza-Ribeiro e Cesar Augusto: 29 de maio, das 14h às 17h

Classificação: 12 anos. Duração: 60 min. ENTRADA FRANCA


13 visualizações0 comentário