Gays, modos de amar - a peça procura refletir questões do universo gay

Amor, sexualidade, preconceitos, alegrias e tristezas são compartilhados como num diário íntimo


A partir do dia 04 de setembro, o público poderá assistir à comédia “Gays, modos de amar”, peça pré-filmada com texto do romancista, ensaísta, editor e dramaturgo Flavio Braga (criador e diretor da revista Muito Prazer, com a escritora e psicanalista Regina Navarro Lins), direção de Glaucia Rodrigues (Cia Limite 151) e atuação de Rafael Canedo (ator constante das produções de Miguel Falabella, deu vida a Caquinho, filho de Caco Antibes no filme "Sai de Baixo"; ao comissário Camilinho, da série "Brasil a Bordo"; e a Ruço na fase jovem, personagem de Falabella na série “Pé na Cova”).

Através do humor, a peça procura refletir sobre questões do universo gay – os preconceitos enfrentados, a busca do amor e do prazer, a auto-aceitação.

Dirigindo-se diretamente ao espectador, num depoimento confessional, o personagem expõe sua trajetória desde a descoberta da condição gay até a sua integração dentro de uma sociedade específica. Amor, sexualidade, preconceitos, alegrias e tristezas são compartilhados como num diário íntimo. O surgimento do primeiro afeto e do primeiro desejo são narrados pelo protagonista como um manual de uso, daí o título da peça.

O jovem Dário (Rafael Canedo), criado numa família tradicional da zona norte carioca, descobre-se homossexual no início da juventude. Incompreensão e pressões familiares o levam a deixar a casa materna. Ele conhece Heitor, professor universitário 30 anos mais velho. Os dois casam e Dário passa a viver uma vida feliz e confortável, mas a felicidade é interrompida pela morte súbita de seu companheiro. Seguindo uma ordem expressa em carta pelo falecido, Dário consegue retirar ações e dólares de um cofre antes de ser expulso pela ex-mulher e filhos de Heitor. Dário passa a viver uma vida desregrada. Envolve-se com prostitutos e se apaixona por um deles, Beto, que o arrebata pela beleza. A herança vai se consumindo rapidamente no sustento dessa paixão, e Beto vai embora quando o dinheiro acaba. Dário então faz uma defesa radical do prazer e resolve se prostituir para sustentar Beto. Suas qualidades intelectuais o tornam um tipo de prostituto muito especial, podendo circular em qualquer ambiente e ser apresentado às famílias sem comprometer os clientes.

Dário resolve escrever um livro contando a sua trajetória e dando sua versão sobre a situação dos gays no mundo. A sua tese central é que somos o nosso corpo, e portanto devemos a ele nossa existência e todo o prazer e bem-estar que pudermos ter. A peça se passa quando o livro está pronto e Dário explica ao público porque resolveu escrever.

FICHA TÉCNICA

Ator: Rafael Canedo

Texto: Flávio Braga

Direção: Gláucia Rodrigues

Cenário e Figurinos: Colmar Diniz

Música: Cayê Milfont

Ilustração: Aliedo Kammar

Iluminação: Rogério Wiltgen

Trilha Sonora: Wagner Campos

Programação visual: Sydney Michelette

Fotos: Guga Melgar

Edição: Marcelo Serpa e Ever Santos

Mídias Sociais: Luciano Rezende e Will Vaz

Direção de Produção: Edmundo Lippi

Realização: Rafael Canedo e Edmundo Lippi

Assessoria de Imprensa: JSPontes Comunicação – João Pontes e Stella Stephany

ESTREIA: dia 04 de setembro de 2021 (sábado), às 19h

TEMPORADA GRATUITA

ONDE ASSISTIR: YouTube, canal GaysModosDeAmar

DURAÇÃO: 40 min / GÊNERO: comédia / CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA: 14 anos / TEMPORADA: no ar até 31 de outubro

LOGO APÓS A APRESENTAÇÃO DE ESTREIA, BATE PAPO COM A SEXÓLOGA E ESCRITORA REGINA NAVARRO LINS E A EQUIPE DA PEÇA.


8 visualizações0 comentário