JORGE pra sempre VERÃO - Escrita pela prima de Jorge Laffond

As tantas vivências do artista que vivia sob os estigmas sociais impostos sobre quem é negro, LGBTQIAP+, adepto das religiões de matriz africana e criado no subúrbio carioca

Realizar um teatro de cura. Foi com este intuito que a produtora e autora Aline Mohamad resolveu abrir seus arquivos pessoais mais íntimos para desenvolver o espetáculo inédito “JORGE pra sempre VERÃO”. O primeiro texto teatral da nova autora, desenvolvido em parceria com Diego do Subúrbio e surgido após ela escrever uma carta póstuma para seu primo, Jorge Laffond, chega aos palcos do Teatro Ipanema no dia 25 de Junho às 20h. Dirigida por Rodrigo França, a história encenada por Alexandre Mitre, Aretha Sadick e Noemia Oliveira não fala apenas sobre o artista falecido aos 51 anos (1952-2003), mas apresenta uma ficção desenvolvida sobre uma história verídica: a da relação que, devido ao preconceito, deixou de existir entre ele e uma prima - a própria Aline.

Jorge Laffond passou por um grande dilema na história da televisão brasileira, que retrata o que é o país em relação à população negra e LGBTQIAP+. A violência de ter que sair do estúdio de TV para trocar de roupa, pois um padre entraria, nos mostra o quanto é cruel sermos nós mesmos. Pouco importa a sua titulação acadêmica, conta bancária, o que você é ou fez pela sociedade. Em algum momento tentarão te colocar no lugar que acreditam que você deva estar - na submissão.

Apesar dos apontamentos sobre a realidade nada fácil vivida por Laffond, o texto tem pontos de respiro com base no humor, principal característica dos seus personagens.

Nascido em Laranjeiras e criado na Penha, zona norte do Rio de Janeiro, o furacão Laffond disse certa vez numa entrevista que tinha consciência de ser gay desde os seis anos de idade, mas que por ser algo considerado muito feio naquela época, fez de tudo para que seus pais não descobrissem. Formou-se em teatro pela Uni-Rio e ainda em dança afro e balé clássico, tendo dançado com Mercedes Batista, a primeira bailarina negra a ser integrante do corpo de baile do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Foi, por fim, um ícone da representatividade negra e LGBTQIAP+.

Em cena, as atitudes de Jorge mostram uma potente força interna e autônoma, apesar da sociedade opressora para quem ele foi, ao mesmo tempo, uma pessoa exótica e diversão pra família tradicional brasileira. Sua forma livre, verdadeira, mostrou a hipocrisia presente em nossas vidas na forma de alegria divina. Seu jeito sincero, genuíno, real, possibilitou que vários corpos de hoje existissem da maneira que são.

SERVIÇO:

“JORGE pra sempre VERÃO”

Temporada: 25 de Junho a 24 de Julho

Dias da semana: Sexta-feira a Domingo

Horário: 20h (sextas e sábados) e 19h (domingos)

Ingressos: Contribuição Voluntária (distribuídos 1h antes na bilheteria do teatro)

Local: Teatro Ipanema

Endereço: Rua Prudente de Moraes, 824 – Ipanema

Informações: (21) 2267-3750

Classificação Indicativa: 14 anos

Duração: 60 minutos

FICHA TÉCNICA:

Texto Original: Aline Mohamad e Diego do Subúrbio

Direção: Rodrigo França

Assistente de Direção: Kennedy Lima

Elenco: Alexandre Mitre, Aretha Sadick e Noemia Oliveira

Stand in: Kênia Bárbara

Direção de Movimento: Tainara Cerqueira

Direção Musical: Dani Nega

Direção de Imagens: Carolina Godinho

Iluminação: Pedro Carneiro

Cenário: Rodrigo França e Wanderley Wagner

Figurinos: Marah Silva

Visagismo: Diego Nardes

Programação Visual: Filipe Celestino

Assessoria de Imprensa: Marrom Glacê Assessoria – Gisele Machado e Bruno Morais

Mídias Sociais: Júlia Tavares

Produção Executiva: Anne Mohamad

Produção: Corpo Rastreado

Idealização: Aline Mohamad

Realização: MS Arte & Cultura


6 visualizações0 comentário