Les Indes Galantes - Sequência de quatro dramas líricos independentes

Um dos destaques da sexta edição do Festival Ópera na Tela


Um dos destaques da sexta edição do Festival Ópera na Tela é a récita Les Indes Galantes, que cria um diálogo entre a dança urbana e a canção lírica, e será projetada no dia 21, às 19h. A encenação integra a programação que traz ainda outras dez óperas, uma Gala e um balé para a tenda montada no Parque Lage, entre 13 e 24 de novembro de 2021. Em Les Indes Galantes, o diretor Clément Cogitore, a coreógrafa Bintou Dembélé e a Opera de Paris se unem para reinventar a obra-prima barroca de Jean-Philippe Rameau, encenada pela primeira vez no Theâtre du Palais Royal em 1735. Na nova montagem estão 30 bailarinos da Compagnie Rualité, coreografados por Bintou Dembélé, que trouxe hip-hop, krump, break e voguing para a montagem. Há ainda a participação dos coros de Namur e da Ópera Nacional de Paris e da Orquestra Cappella Mediterranea, que toca sem amplificação eletrônica, acompanhada por cerca de cinquenta instrumentistas. O maestro é Leonardo García Alarcón. Quem quiser conhecer detalhes da montagem Les Indes Galantes vai poder assistir no

gratuitamente, entre 12 e 24 de novembro de 2021, o making-of de sua criação. O documentário Indes Galantes: o hip hop invade a (Ópera) Bastilha! levou quase dois anos para ser produzido e revela a criação do cenário, a direção dos bailarinos, os ensaios e a recepção do público e da crítica em relação à recita. Além dos bastidores, expõe também a experiência do encontro de dois mundos que normalmente não se esbarram.

RÉCITA LES INDES GALANTES

De Jean-Philippe Rameau - Ópera Nacional de Paris - Ópera-balé

Libreto: Luis Fuzelier

Cantada em francês

Duração: 1h53

Maestro: Leonardo García Alarcón

Diretor: Clément Cogitore

Orquestra Cappella Mediterranea, coros de Namur e da Ópera Nacional de Paris

Coreografia: Bintou Dembélé

Bailarinos: Compagnie Rualité

ELENCO

Hébé | Phani | Zima - Sabine Devieilhe

L'amour | Zaïre - Jodie Devos

Émilie | Fatime - Julie Fuchs

Bellone | Adario - Florian Sempey

Osman | Ali - Edwin Crossley-Mercer

Sinopse: Sequência de quatro dramas líricos independentes interligados por um tema exposto no prólogo: o Amor une diferentes culturas. O libreto de Louis Fuzelier inspirou-se em documentos e relatos de testemunhas sobre as "Índias", abarcando lugares "exóticos" como a Turquia, o Peru, a Pérsia e a América do Norte. Deixando de lado os deuses e feiticeiros habituais no barroco, ele volta sua atenção para pessoas "comuns" que se apaixonam.

5 visualizações0 comentário