Mujeres de Arena - um grito contra os feminicídios - Testemunhos de mulheres de Ciudad Juárez

Atualizado: Out 25

Um ato-manifesto


“Mujeres de Arena - um grito contra os feminicídios" é uma adaptação da obra original “Mujeres de Arena”, do premiado dramaturgo mexicano Humberto Robles, realizada por Rosite Val e Mirian Arce, fundadoras do RAVER Coletivo Teatral. A adaptação é a primeira versão do texto como monólogo e a primeira montagem da obra no Brasil.

O texto, escrito a partir de testemunhos de mulheres de Ciudad Juárez, no estado de Chihuahua, México, e de casos reais brasileiros, denuncia e acende um debate sobre o tema, que se apresenta em números estrondosos no nosso país e em seis países sul-americanos - Argentina, Bolívia, Colômbia, Guyana, Suriname e Venezuela. Através da dramaturgia construída com as histórias das mulheres de Ciudad Juárez, contam-se também as histórias de todas as mulheres que sofrem violência.

No momento em que nosso país passa por tantos retrocessos e censuras, em que pessoas desaparecem nos países "hermanos", e que as manifestações por direitos legítimos são reprimidas, "Mujeres de Arena – um grito contra os feminicídios" busca ser um clamor por liberdade e justiça por todas as mulheres vítimas (por vezes fatais) da violência de gênero.

“Mujeres de Arena – um grito contra os feminicídios” é encenada como um ato-manifesto, dando voz a quem não foi ouvida. O objetivo é promover um ato de espelhamento e estimular a conscientização e luta contra o machismo ainda tão presente no século XXI.

FICHA TÉCNICA

Textos: Antonio Cerezo Contreras, Marisela Ortiz, Denise Dresser, Malú García Andrade, María Hope, Eugenia Muñoz, Servando Pineda Jaimes e Juan Ríos Cantú

Dramaturgia: Humberto Robles

Pesquisa, Tradução e Adaptação: Mirian Arce e Rosite Val

Pesquisa e Atualização Dramatúrgica: Rosite Val

Direção e Atuação: Rosite Val

Desenho de Luz e Cenografia: Adriana Milhomem

Figurino: Carol Bianque

Visagismo: Elaine Almeida

Fotos: Caroline Teixeira, Adriana Milhomem, Carol Bianque e Elaine Almeida

Design Gráfico: Eduardo Passos

Operação de Luz e Som: Bárbara Montes Claros e Adriana Milhomem

Montagem de Luz: Jorge Raibott

Cenotécnico: Marco Souza

Contra Regra: Divany Souza

Costura: Maria Bianque

Gravação e Edição: Photoescrita Produções Cinematográficas

Acessibilidade: Inclusive Acessibilidade

Direção de Produção: Rosite Val

Produção Executiva: Marilyn Pires

Relações Institucionais: Cleise Campos

Elaboração e Prestação de Contas | Lei Aldir Blanc: DL Assessoria Contábil

Idealização e Realização: RAVER Coletivo Teatral

Espetáculo gravado no Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto.

Assessoria de Imprensa: JSPontes Comunicação – João Pontes e Stella Stephany


SERVIÇO:

ESTREIA: A estreia é no dia 27 de outubro de 2021 - quarta feira, às 19h

TEMPORADA ONLINE GRATUITA

OU INGRESSOS COLABORATIVOS OPCIONAIS

HORÁRIOS: apresentada às segundas, quartas e quintas, 19h / Exibição via YouTube / DURAÇÃO: 60 min / CLASS. INDICATIVA: 14 anos / TEMPORADA: até 27 de novembro

ÀS 20H, LOGO APÓS A ESTREIA: debate online sobre o tema "Violência contra a Mulher" com Marisa Chaves (Assistente Social, fundadora e gestora do Movimento de Mulheres em São Gonçalo) e Dr. Elenice Baptista (Advogada, OAB Mulher São Gonçalo)


9 visualizações0 comentário