EU, CHRISTIANE F., 13 ANOS, DROGADA E PROSTITUÍDA - Polêmico por conta das cenas chocantes e críveis

O prelúdio da toxicodependência

resenha: psales e msenna


Em 1978, um livro torna-se o maior sucesso na Alemanha pós-guerra, configurando-se como o número um em lista de best-sellers por noventa e cinco semanas consecutivas - uma não-ficção que descreve a deprimente odisseia pessoal protagonizada por uma adolescente negligenciada e esquecida, não só pelos pais, mas também pela sociedade.

O tema chama a atenção do jovem e ainda não famoso cineasta Bernd Eichinger que, na ocasião, vislumbra um enorme potencial cinematográfico na história contada no livro ‘Wir Kinder vom Bahnhof Zoo’ – assinado pelos jornalistas Kai Herrmann e Horst Rieck em colaboração de Christiane F., sobre o envolvimento dessa adolescente com drogas e prostituição aos 13 anos de idade – dando início à sua adaptação para as telas do cinema.


Ao implementar uma trama funcional a partir de um relato factual, Eichinger enfrenta a difícil tarefa de conferir ao filme o mesmo sucesso do livro. Para isso, convida Roland Klick para assumir a direção do projeto. Após a fase de preparação, Klick desiste da direção e abandona o set, sendo substituído pelo desconhecido Uli Edel – sem qualquer experiência em cinebiografia.


Quando o filme estreia em 1981, Eichinger constata que a mudança na direção só agregou positividades ao projeto – levando Edel a ser aclamado conjuntamente ao filme que, na ocasião é considerado cruel, causador de discussões acaloradas, tendo cenas censuradas em muitos países contudo, conseguindo o que o livro já havia conquistado – popularidade.

No Brasil, o filme recebe o nome de ‘Eu, Christiane F., 13 Anos, Drogada e Prostituída' e, como não poderia ser diferente, se torna muito polêmico por conta das cenas chocantes e críveis, privadas de heroísmo e repletas de banalização ao mostrar o prelúdio da toxicodependência, conjurado pelo descaso emocional e social.


Christiane é interpretada magistralmente pela atriz Natja Brunckhorst, aos 14 anos de idade, quando encarna a menina que procurava um ponto de ancoragem emocional, um ídolo ou apenas uma direção que não acabasse no beco sem saída do Zoológico de Bahnhof.


Em 2022 ‘Eu, Christiane F., 13 Anos, Drogada e Prostituída' completa 40 anos desde a sua estreia nas telas dos cinemas e cujo tema permanece real, arrepiante, ainda mais cruel e impacta por não colocar o dedo na cara dos dependentes químicos. Não obstante, perturba quando vomita na moral da história desejada pelo espectador conservador, que nunca irá encará-lo com um documento incrivelmente significativo e atemporal.


Título Original: Christiane F. - Wir Kinder vom Bahnhof Zoo

Direção: Uli Edel

Roteiro: Herman Weigel, Kai Hermann, Horst Rieck

Elenco: David Bowie, Natja Brunckhorst, Thomas Haustein, Eberhard Auriga, Peggy Bussieck, Lothar Chamski, Rainer Woelk, Uwe Diderich

Distribuição: A2 Filmes


4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo